sábado, 29 de janeiro de 2011

"ESPIRITISMO LAICO" DE DAVID GROSSVATER NO SITE PENSE- PENSAMENTO SOCIAL ESPÍRITA


Apresentação de Eugenio Lara do livro de Grossvater
disponível no site  www.viasantos.com/pense

Esta rara obra em edição digital que o PENSE - Pensamento Social Espírita tem a honra de oferecer aos estudiosos espíritas e não-espíritas, foi lançada em abril de 1966 pelo grande líder e escritor espírita da Venezuela, David Grossvater.
Nascido em Cracóvia, na Polônia, em 16 de outubro de 1911, Grossvater emigrou para o Brasil na adolescência. Morou em Porto Alegre-RS, onde tomou contato com o Espiritismo, tendo frequentado centros espíritas daquela cidade. De origem judaica, sua família foi executada pelos alemães em um campo de concentração nazista.
Ao ter idade para servir o exército, transferiu-se para a Venezuela, em 1930. Seu irmão havia falsificado sua documentação para que fosse identificado como cidadão brasileiro. Fixou residência em Maracay, capital do estado de Aragua, região central de Venezuela, cidade onde viveu até o fim de sua existência.
Na Venezuela, tomou contato com o movimento espiritualista criado pelo intelectual e escritor espírita espanhol Joaquín Trincado Mateo (1866-1935), radicado em Buenos Aires, Argentina. De origem basca, nascido em Cintruén (província de Navarra), Trincado era eletricista e fundou, em 1911, em Buenos Aires, a Escola Magnético-Espiritual da Comuna Universal – Escuela de Pedagogía Racional, Filosofia y Metafísica, um movimento eclético, que mistura ideais anarquistas e libertários com o zoroastrismo, esoterismo, cabala e Kardecismo. Posteriormente, esse movimento espiritualista transladou-se da Argentina para o México, onde possui grande número de adeptos.
Assim como o revolucionário nicaraguense Augusto César Sandino, Grossvater se aproximou do chamado Trincadismo, mas logo rompeu com este singular movimento espiritualista por discordar de suas teorias sobre a origem do homem e do espírito. Entusiasmou-se com a obra Evolução em Dois Mundos, do espírito André Luiz, psicografada pelo médium mineiro Chico Xavier (1910-2002) e com A Grande Síntese, a principal obra do filósofo espiritualista italiano Pietro Ubaldi (1886-1972).
Em função da discordância com as ideias de Joaquín Trincado e a rejeição à feição cristã imprimida por Allan Kardec em sua obra, Grossvater desenvolveu uma forma peculiar de ver a Doutrina Espírita, que denominou de Espiritismo Laico, em contraposição ao Espiritismo Cristão e ao Espiritismo Trincadista. Em seu pensamento, pode-se notar a marcante influência das ideias do cientista espírita francês Gabriel Delanne (1857-1926), da Metapsíquica, de André Luiz/Chico Xavier e de Pietro Ubaldi.
Grossvater começou a frequentar, em 1938, na cidade de Maracay, um centro espírita fundado pelo radiotelegrafista de aviões, Renato Gutiérrez Romero. Com o tempo, sua liderança e espírito empreendedor se fizeram notar pelo movimento espírita daquela região.
Em 20 de maio de 1958, em Maracay, David Grossvater fundou o CIMA - Centro de Investigaciones Metapsíquicas y Afines, ladeado por expressivas lideranças espíritas venezuelanas como Manuel Massó, David Webel, José Heriberto Blanco, Pedro Martínez Ibarra, Jesús María Blanco, Pedro Stagno, Blanca de Grossvater, José Zubero, Luis Rivero, Olga de Rivero e Jorge Pacheco. A partir de 1980, sob a liderança de seu amigo e companheiro, Jon Aizpúrua, passou a se denominar Movimento de Cultura Espírita – CIMA.
Grossvater influenciou várias lideranças espíritas da Venezuela e outros países da América Latina. O movimento laico, criado por ele, que chamava de evolucionismo anticriacionista, atravessou fronteiras. Assim como o grande espírita cubano Soto Paz Basulto (1889-1943), deixou a marca de uma visão laica e livre-pensadora em sua obra, no pujante movimento espírita que fundou e liderou por muitos anos.
Em uma das palestras de Grossvater no CIMA, o futuro presidente da Confederação Espírita Pan-Americana (CEPA) e escritor espírita, Jon Aizpúrua, na plateia, então adolescente, ateu e bastante influenciado pelo marxismo, aceitou o desafio proposto pelo palestrante em ler e debater com ele O Livro dos Espíritos, a principal obra do fundador do Espiritismo, Allan Kardec: nunca mais parou de estudá-la. Sua iniciação espírita começou a partir deste episódio. Aizpúrua herdou o legado de Grossvater e assumiu a liderança do CIMA, no entanto, com uma visão mais kardecista do que a de seu mestre, sem todavia romper com a concepção laica, filosófico-científica e livre-pensadora, marcas registradas do movimento criado por Grossvater.
A síntese de seu pensamento se encontra nesta obra, Espiritismo Laico, muito combatida e pouco lida. Nela podemos vislumbrar o poder de suas profundas reflexões e do confronto do pensamento espírita com outras áreas do conhecimento, especialmente a biologia, a psicologia e a metapsíquica. De valor histórico inestimável e, apesar de datado em muitos aspectos, este livro, há muito tempo esgotado, influenciou o chamado movimento laico no Brasil, nos anos 1960, especialmente o Movimento Universitário Espírita (MUE) e vários espíritas brasileiros.
Além de Espiritismo Laico, Grossvater escreveu Por los Fueros del Espíritu (1954), Investigaciones Sobre Psicología del Espíritu (1955), Psicología del Espíritu (1961), Gnoseología Espiritista (1961), Razonamientos Espiritistas (1961), todas publicadas pela Editorial Kier, de Buenos Aires, Argentina.
Também traduziu varias obras de autores espíritas brasileiros, dentre elas: A Teoria Corpuscular do Espírito, de Hernani Guimarães Andrade, Evolução em Dois Mundos, Mecanismos da Mediunidade e Nos Domínios da Mediunidade, psicografadas por Chico Xavier, de autoria do espírito André Luiz e A Grande Síntese, de Pietro Ubaldi. David Grossvater desencarnou em Maracay, no dia 18 de maio de 1974, aos 63 anos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Enquanto no mundo existirem "grandes lideres" continuaremos a esquecer d'Aquele que foi um Grande Exemplo: Jesus Cristo.