segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

A TRAGÉDIA DE SANTA MARIA


   A TRAGÉDIA E NÓS

                 Impossível não sofrer junto!

                 Uma tragédia da dimensão daquela ocorrida em Santa Maria nos atinge a todos.

                Em algum momento, assistindo a cenas tão dramáticas, como aquelas mostradas no último domingo, impossível não experimentarmos parcelas vivas e reais da dor de mães, pais, irmãos ou amigos dos cerca de 250 rapazes e moças, vítimas da maior tragédia já ocorrida no Rio Grande do Sul.

                A dor que sofremos juntos, mesmo despertando indignação diante de imprevisão e do descaso humanos, também faz brotar em cada coração sentimentos de solidariedade e um afeto profundo, verdadeiramente fraterno, para com familiares e pessoas próximas das vítimas. Isso é o que se chama de compaixão: o sofrimento compartilhado que gera cumplicidade, solidariedade. Podemos, sim, ajudar, mesmo à distância, com vibrações de amor, com preces que brotam da alma e chegarão, como bálsamos suavizantes, à alma das vítimas e seus entes queridos.

                Talvez seja tudo o que podemos fazer neste momento. E esse tudo é muito. Por favor, ninguém tem o direito de construir teses colocando aqueles jovens como culpados por atos antes praticados. Importa que, aqui e agora, eles são vítimas. Vítimas da imprevidência dos homens e do desprezo que temos pela vida.

                Destino? Mistérios divinos? Definitivamente, não. Erros humanos que todos temos o dever de evitar em favor da vida digna, longa e feliz que sonhamos, planejamos e buscamos para ossos filhos, neste Planeta!

Milton Medran Moreira – Publicado no jornal Diário Gaúcho de 29/01/2013