segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

DEPOIS DELE, O ESPIRITISMO NUNCA MAIS SERÁ O MESMO

Jaci Regis 1932/2010

Alguns dados biográficos
Em 13.12.2010, aos 78 anos de idade, desencarnou, na cidade de Santos/SP, Jaci Regis, um dos mais fecundos e polêmicos pensadores da história do espiritismo no Brasil e no mundo.
Alguns dados biográficos
Nascido em Florianópolis, SC, em 30/10/1932, Jaci Regis viveu na cidade de Santos/SP, desde 1947. Economista, jornalista e psicólogo, trabalhou por 30 anos, até aposentar-se, na Petrobrás. No movimento espírita, desde a década de 40, integrou-se ao segmento jovem, liderando a Mocidade Espírita Estudantes da Verdade – MEEV - ainda hoje existente - do Centro Espírita Allan Kardec (CEAK), de Santos.
Aliando, com igual denodo e combatividade, sua condição de pensador e estudioso do espiritismo com a de batalhador das causas sociais, assumiu, ainda na década de 60, a direção da Comunidade Assistencial Espírita Lar Veneranda, modelar instituição que atende crianças e mães e que foi por ele presidida por 32 anos.
Jaci Regis foi um dos fundadores da União Municipal Espírita de Santos e, nessa condição, dirigiu, por 23 anos, o jornal “Espiritismo e Unificação”. Na década de 80, liderou históricas divergências com o segmento evangélico do espiritismo e intensificou seu trabalho em prol do que chamou de “espiritização”, em confronto com o que o movimento espírita habitualmente denomina de “evangelização”. O jornal “Abertura”, por ele fundado em 1987 e do qual foi diretor e editor até seu falecimento, tornou-se o mais importante porta-voz do segmento livre-pensador, progressista e não-religioso do espiritismo. Criou, em 1989, o Simpósio Nacional do Pensamento Espírita, depois chamado de Simpósio Brasileiro do Pensamento Espírita, realizado de dois em dois anos. Em 1999 funda o ICKS-Instituto Cultural Kardecista de Santos."
  Escritor fecundo, publicou dezenas de obras, entre as quais “Amor, Casamento e Família”, “A Mulher na Dimensão Espírita”, “Uma Nova Visão de Homem e de Mundo” e “Introdução à Doutrina Kardecista”.
Casado com Palmyra Regis, havia mais de 50 anos, deixou 6 filhos, muitos netos e uma bisneta. A maioria de seus familiares está intimamente vinculada ao espiritismo, seguindo-lhe as ideias e contribuindo com suas iniciativas.

Uma personalidade marcante
Em biografia publicada no site “Espiritnet”, há alguns anos, Ademar Arthur Chioro dos Reis, vice-presidente da CEPA, qualifica-o como “uma das personalidades mais marcantes do Espiritismo, um homem que conseguiu questionar e abalar as estruturas do movimento espírita oficial, introduzindo a crítica fundamentada numa obra profunda, contundente, consistente, contra-hegemônica e, portanto, profundamente polêmica”.
Na página final deste periódico, publicamos os trechos principais do último discurso por ele pronunciado em evento da CEPABrasil, em Bento Gonçalves/RS. Ali, Jaci sintetiza o pensamento que sustentou nos últimos anos de sua vida: a necessidade de desvincular o espiritismo das estruturas cristãs, dando lugar ao “Espiritismo pós-cristão” que inaugura a “Ciência da Alma”.

Matéria publicada na 1ª página do jornal Opinião de Jan/fev de 2011.
Para mais informações veja o blog  http://ccepa-opiniao.blogspot.com

Nenhum comentário: